LEIA TAMBÉM

23 de maio de 2017

Conselho Tutelar de Milagres deixa de trabalhar. Prefeitura disse desconhecer problemas

Sede do Conselho Tutelar em Milagres (Reprodução)
A  população de Milagres foi surpreendida na manhã de segunda-feira (22) com um comunicado afixado na porta da sede do Conselho Tutelar, com o aviso de que  "devido as más condições de trabalho o Conselho Tutelar não funcionará até que sejam tomas as devidas providências. Estamos sem telefone fixo, combustível e auxiliar de serviços gerais". As informações são do blog do radialista Farias Junior.

De acordo com o conselheiro Carlos André, houve uma reunião, com o secretário da Administração Adolfo Medeiros, mas sem acordo.

Posteriormente, a Prefeitura divulgou nota na qual diz que a maioria dos problemas mencionados pelos conselheiros não eram de conhecimento da administração municipal. Leia a íntegra do comunicado abaixo.

O Governo Municipal de Milagres vem a público esclarecer sobre questões relacionadas ao Conselho Tutelar, no tocante ao fechamento temporário de sua sede, causando prejuízo a população.

Os motivos alegados pelos conselheiros em sua maioria, e que não chegaram ao conhecimento do governo, supostamente decorrem da falta de um auxiliar de serviços gerais, problemas com o telefone fixo, bem como, o abastecimento do veículo do órgão.

A bem da verdade convém esclarecer que, a administração tem mantido o controle de gastos em todos os departamentos, mediante a limitação financeira vivenciada. No entanto, o servidor destinado, por falta de comunicação, ausentou-se em um curto período alegando motivos pessoais, problema esse já solucionado, após o conhecimento da situação, ocorrido somente na data de hoje (22 de maio de 2017).

Relativo a problemas com o telefone fixo, até a presente data, nenhum comunicado foi feito a gestão, nem mesmo de maneira informal. Salienta-se que, o problema decorre por falta de sinal, devido a falhas técnicas ocorridos na rede de fiação de competência da empresa de telefonia.

Ressalta-se também que, desde o início dessa gestão, todas as faturas referentes ao uso da linha telefônica são quitadas mensalmente, porém, foram identificadas 40 faturas em atraso, deixadas pela administração passada, o que inviabilizou o seu uso e que também, deixou de ser comunicado a gestão municipal, por parte dos conselheiros.

Ainda em se tratando do abastecimento do veículo, o que se questiona é o controle que está sendo feito e que antes não existia, mediante a obrigatoriedade, a partir desta gestão municipal, da apresentação de planilha detalhada sobre o uso deste, com viagens feitas pelos conselheiros. A decisão é motivada pela de redução de gastos, diante a situação já exposta.

Por fim, o governo municipal reitera a disponibilidade de trabalho em parceria sempre existente, desde que seja feita a prestação de contas de todos os serviços executados pelos conselheiros, uma vez que, por se tratar do uso de recursos públicos, deve-se manter total transparência e responsabilidade na referida prestação de contas devidamente oficializada.


Tecnologia do Blogger.