LEIA TAMBÉM

28 de abril de 2017

Prefeito de Milagres diz que não vai punir funcionário que aderir a greve geral

Lielson Landim se mostrou contrário às reformas propostas pelo Governo Temer (Foto: Vinicius Diniz)
As principais centrais sindicais do Brasil convocaram uma greve geral para a sexta-feira (28), na tentativa de demonstrar força e mobilização contra a reforma trabalhista e a reforma da Previdência propostas pelo governo de Michel Temer e a lei de terceirização, sancionada pelo presidente.

O Prefeito de Milagres, Lielson Landim, procurado pelo Portal OKariri, afirmou que não decretou ponto facultativo para o dia da manifestação, como fizeram outros prefeitos, mas não impedirá, e nem punirá, o funcionário público que optar em participar da manifestação. Como o direito a greve é constitucional,  ele entende que "o funcionário não precisa ser liberado pelo seu chefe ou patrão para poder faltar ao trabalho e participar do movimento".

O gestor ainda criticou as reformas propostas pelo presidente Michel Temer, entendendo ser uma afronta ao trabalhador e que terão efeitos negativos imediatos e a longo prazo. “Cabe ao trabalhador lutar pelos seus direitos, isso é legítimo. Eu me solidarizo, pois também serei atingido e não quero ver os nossos direitos sendo tirados. Incentivo que todos lutemos pela não aprovação da reforma trabalhista”, disse o prefeito.


Tecnologia do Blogger.