LEIA TAMBÉM

19 de abril de 2017

Número de casos de febre chikungunya cresce no Ceará

Aedes Aegypti (Foto: Marvin Recinos/AFP)
O Ceará já tem 4.833 casos de chikungunya confirmados em 2017, segundo boletim divulgado nesta quarta-feira (19), pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa). Do total de confirmações 2.678 são moradores de Fortaleza, o que representa 55,4%. Caucaia aparece em segundo lugar com 792 casos, seguido de Baturité, com 345. Uma pessoa morreu.

Em 14 de março, a Secretaria de Saúde havia confirmado 661 casos da doença. Comparando com o número divulgado nesta quarta-feira, em pouco mais de um mês, o número de casos da doença cresceu 631%. A vítima que morreu pela doença este ano é uma mulher de 66 anos do Bairro Álvaro Weyne, de acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS).

A infecção pelo vírus chikungunya provoca sintomas parecidos com os da dengue, porém mais dolorosos. No idioma africano makonde, o nome chikungunya significa "aqueles que se dobram", em referência à postura que os pacientes adotam diante das penosas dores articulares que a doença causa.

Em compensação, comparado com a dengue, o novo vírus mata com menos frequência. Em idosos, quando a infecção é associada a outros problemas de saúde, ela pode até contribuir como causa de morte, porém complicações sérias são raras, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Fonte: G1 CE



Tecnologia do Blogger.