LEIA TAMBÉM

28 de abril de 2017

Ceará tem 1,3 mil casos de febre chikungunya em uma semana

Mosquito também transmite dengue, chikungunya, febre do Mayaro e febre amarela (Reprodução)
O número de casos confirmados de febre chikungunya no Ceará voltou a crescer fortemente na semana passada. Conforme o boletim de registros da Secretaria da Saúde do Ceará, divulgado semanalmente, os dados mais recentes apontam 6.217 registros da doença neste ano, 28% a mais que na semana anterior, quando a secretaria confirmava 4.833 pessoas infectadas pela chikungunya.

Fortaleza é a cidade que concentra a maior parte dos casos, com 3.690 casos confirmados. Em Caucaia são 888, e em Baturité, 362. Em 2016, o Ceará teve mais de 29 mil casos da doença.

A infecção pelo vírus chikungunya provoca sintomas parecidos com os da dengue, porém mais dolorosos. No idioma africano makonde, o nome chikungunya significa "aqueles que se dobram", em referência à postura que os pacientes adotam diante das penosas dores articulares que a doença causa.

Em compensação, comparado com a dengue, o novo vírus mata com menos frequência. Em idosos, quando a infecção é associada a outros problemas de saúde, ela pode até contribuir como causa de morte, porém complicações sérias são raras, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Com G1 CE

Tecnologia do Blogger.